A “herança maldita”

  1. Felipe Neri, em 31/01/2013 às 12:11 disse:
  2. Na minha opinião o que aconteceu ontem na geral foi um fato gravíssimo. O sr Antonini que ridicularizou com risos jornalistas que o questionarem antes do ocorrido sobre a segurança do local deveria ser responsabilizado, bem como, pela “herança maldita” da direção anterior – de uma inauguração apressada e desnecessária que tantos transtornos tem causado a direção atual, ao torcedor e até ao time que tem de jogar num gramado feio e arenoso.
  3. E o tal de Odone é tão ruim, mas tão ruim (pra mim um dos piores presidentes da história do Grêmio!) que até a Arena – a qual ele teve sim grande contribuição – conseguiu prejudicar adiantando sua inauguração e trazendo prejuízos incalculáveis a milhares de gremistas – tudo pelo seu ego inflado, sua vaidade ridícula de querer cortar a fitinha e colocar seu nome nas plaquinhas, além de dar aqueles discurso colérico e catártico, totalmente “over”, a fim de ser ovacionado pelo público e alimentar à aplausos o seu gigantesco e faminto narcisismo.

    Fazia parte da “herança maldita” tb essa tensa pré-Libertadores pois podíamos pegar, como pegamos um adversário complicado (LDU por mais limitada atualmente que seja é time copeiro sim) e ter sido desclassificados prejudicando o ano de 2013 e anulando a boa campanha no Brasileiro de 2012 que de nada teria valido, pois a verdade é que tivemos pouco tempo de preparo na pré-temporada e a direção atual ficou embretada numa pressão de agilizar negociações, o que quando se trata de bons jogadores, nem sempre é fácil pois não ocorre na velocidade que se quer e ficamos reféns das variáveis do mercado pois pressa não combina com trabalho bem feito!

    Agora, a direção atual vai ter mais tempo pra trabalhar, contratar, fazer a transição de estádio, CT, categorias de base, modelo de gestão, investir no marketing tendo em vista a LA2013, melhorar e rever aspectos da parceria com a OAS, lutar pelo entorno da Arena, melhorias no serviço, gramado, enfim, há muito por fazer.

    Mas, principalmente, chegou a hora de fazer time, colocar o Luxa no seu devido lugar e trabalhar com mais calma para cumprir as promessas de campanha.

    A verdade é que o Grêmio segue em obras (time, Arena, CT, etc) e uma mudança de casa traz consigo uma série de demandas e desconfortos para os quais até podemos ser compreensivos mas não complacentes com tudo o que precisa ser feito, exigindo dos responsáveis cumprirem com aquilo que se comprometeram.

    Ao contrário do discurso “odonistico” demagógico e ilusionista, não era só inaugurar a Arena e conquistar títulos, pois são tremendas as mudanças que estão em curso no clube e a direção atual tem pela frente grandes desafios e muito trabalho pro fazer. Estamos em um ano de transição, ainda não estruturados pra títulos talvez, mas em fase de estruturação e numa ânsia muito grande por conquistas.

    Vai ser preciso mais do que espantar o “azar odonistico”… ou contar com a estrela de Koff … vai ser preciso muito, mas muito empenho, trabalho colaborativo, dar tempo ao tempo, paciência, cobranças criteriosas ao invés de embaladas pela imprensa “isenta” e mais sintonia e união entre a nova direção, o time e toda a torcida a fim de superarmos e respeitarmos as etapas das transições necessárias rumo aos títulos. Somente assim vejo possibilidades de comemorarmos o quanto antes, novas conquistas!

http://sempreimortal.wordpress.com/2013/01/31/com-a-palavra-o-engenheiro-do-ano/#comment-67447

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s