Josias com a macaca: O deles é um CONDOMÍNIO. KKKK

segunda-feira, 8 de abril de 2013

COLUNA DE CARLOS JOSIAS

O B RIO É UM CONDOMÍNIO. NÃO É DELES  ! NOSSOS PECADOS JÁ FORAM EXPIADOS E JÁ SABEMOS QUAIS E A PENITÊNCIA. CUIDEM AGORA DO TELHADO DE VIDRO !

Koff assumiu e fez a frase “A ARENA NÃO É NOSSA” !

Deu, e dá mídia até hoje.

Koff tinha, e tem, lá, suas razões. A ARENA está semi pronta e logo ali ficará. Isto é inevitável por maior ranger de dentes que escuto por ali e por aqui e olha, de gente grande e esclarecida, daqueles que sabem que cedo ou tarde o Estádio fica ok – teimosos, estão incrédulos desde o tempo que apostavam que não passaria do papel, do virtual…. Cabeças duras. Que o contrato precisa ser revisto, isto foi reconhecido pelo próprio Ex Presidente Odone que se manifestou no mesmo sentido, e parece que não há mais voz contra esta realidade especialmente após tal declaração. Em meio ao fervilhar da declaração Koff e suas repercussões muitos debates se travaram, de todos os lados. Exaustivamente alertei que estava se criando uma ´torcida organizada da OAS – a TOAS` quer porque apareceram a tribo dos ADORADORES GRACIOSOS DO CONTRATO quer porque surgiu A ALA DOS OFENDIDOS …. Na medida em que qualquer crítica ao contrato era tomada como ataque pessoal à gestão – não duvido que alguns até tivessem esta propositabilidade, o que não afasta a legitimação do levante – a troca de ideias virou troca de farpas. Na política em geral é assim, se se vai contra a algo feito por uma gestão os gestores e seus seguidores tomam o reclamo de forma pessoal. Ranço que não se corrige de um para outro momento, é cultural. Alguns colocam as individualidades acima dos interesses do clube, ainda que inconscientemente. Mas não é a gestão deste ou daquele que está em jogo, o que releva são os interesses do clube, muito maiores do que os de qualquer agrupamento. Neste particular, se Odone pecou em muitos aspectos, no reconhecimento teve grandeza. Baixou a guarda depois de 1 dia e meio de chiação comunicativa – o desfile do desabafo –  bastou um almoço de 1 hora a 4 jogos de talheres. É forçoso entender isto e lhe conceder o ponto. A continência do General impôs mais ´compreensão` aos soldados para os reclamantes. E as vozes diminuiram. Diga-se de passagem, de ambos os lados. Vamos caminhar juntos e encontrar uma maneira civilizada de ajustar e ficar bom para todos, afinal negócio bom é aquele que a todos beneficia.

Neste período, a mídia deitou falação – compreensível, o assunto gerou notícia – e rechearam-se páginas de jornais, tvs, rádios e até agora a matéria é batida.

E, claro, a flauta corria solta ….

Só que, paralelamente a isto, o B Rio, que está longe de estar reformado e pronta a obra da AG – cujo início foi abaixo de tumulto e sabe-se lá como será adiante  – quase que abafado passava a insurgência de correntes vermelhas em levante também contra o contrato da AG … e olha, repetindo, lá sequer há apronte da reforma. Roberto Siegmann e Vitório Pífero apontaram incontávies inconformidades com o ajuste da AG e I, mas a ´calmaria` estava sufocada pela frase Koffiana e os debates do lado de cá que estavam fornecendo mais audiência.

Enquanto, contudo, por aqui, a pressão e as posições parecem encaminhar um inicio de negociação, por lá fica-se ainda nas inconformidades abafadas.

Pois neste domingo, participando de um programa de rádio, Toque de Letra, na Guaíba, veio uma frase de um conselheiro vermelho, de situação, e que perseguia justificar diferença contratual entre o nosso e o ´case` deles. Na frase a revelação:

“ O CONTRATO AG E I REFLETE UM COMDOMÍNIO”  !

Perfeito.

Fui lógico: bem, então o I é condômino, hoje, do B Rio. Eu também sou condômino do prédio onde resido … dele não sou proprietário, além do espaço que ocupo como moradia e das áreas comuns. Mutatis Mutandis !

O situacionista de lá tentou remendar. O oposicionista foi enfático: estamos engessados.

Agora reparem uma coisa. Por aqui os vitoriosos na eleição não foram os protagonistas do contrato. Lá, os protagonistas, permaneceram na gestão. Perceberam ? Imaginaram se Pifero tivesse vencido o pleito lá ? Anram…. que ronha heim ? Como ele está de fora, está sendo, na medida do possível ….pouco ouvido, por enquanto …

Mais, com todos os percalços o nosso contrato acabou até nos tts …. todo mundo de um jeito ou de outro acabou conhecendo. Por lá, a sala de apresentação teve ´vigia` humana e eletrônica. A transparência maior implica publicidade maior. O que é amplamente alvo de criticas e defesas é imperiosamente, por isto, mais democrático.

Os senhores da mídia que atentem para lá porque o baile recém começa….o nosso está terminando ! Ainda vai ter dança, mas se encaminha para o fim … nós, daqui, já sabemos o que ajustar ….

No mesmo programa meu amigo Bastos ao responder indagação minha sobre como o negócio foi ao desfecho com o pagamento de 41 milhões ano pelo clube pelo local dos sócios se é impossível projetar a lotação total todos  os  jogos ( até agora não deu e raramente vai dar ) disse-me, com sua franqueza natural que no ´projeto` não contaram com os investimentos que acabou sendo feito em 2013 !

Mas como, então o Grêmio faria o que em 2013 ? Pedira licença e fecharia o futebol ? Epa opa epa. Desde a fundação, no Restaurante Dna Maria que se sabe – é da rotina do clube que carrega no sobrenome FOOT BALL – que no ano a seguir sempre se investirá nisto, futebol. Foi assim com todos os Presidentes inclusive quando Odone substituiu Obino, quando Duda substituiu Odone, quando Odone substituiu Duda e por que seria diferente quando Koff assumiu ?  Por favor. Esta falta de projeção – que não previu um fundo razoável, e bem, falhou. Grandene dizer que é um bom negócio, é respeitável, afinal ele é um grande empresário …. acostumado a vender outro produto, deveriam alertá-lo olha o clube não vende sandálias…. Pecado cometido.

Mas olha, nossos pecados estão sendo expiados …. e tem perdão …. estão sendo confessados ….amém.

Do outro lado quem quiser sambar que compre ingresso. Aqui a bilheteria está esgotada. Entendam isto senhores da mídia e virem seus holofotes para quem está clamando pelo lado de lá, isto chama-se ISENÇÃO. Ou estou pedindo demais ?

Bem, pedir isenção parece tem sido sempre demasiado … mas vou apostar parte das minhas fichas nela … parte, só parte .. bem pouquinho….! Me desmitam.

Pois se aqui é possível negociar …. não vejo como lá poderia ser … mas enfim, cada um com suas coisinhas, apenas é bom cuidar com as pedras de lá para cá porque o telhado é de vidro.

Ah, pois é … virem-se, por lá, nos 30 !

@cajosias

face C JOSIAS MENNA OLIVEIRA

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s